11/11/2021 às 06h34min - Atualizada em 11/11/2021 às 06h34min

Despachante de Ipatinga está entre investigados presos por furto de caminhões e adulteração de chassi

diariodoaco
https://amp.diariodoaco.com.br
Equipes das delegacias da PCMG de Ipatinga e Divino cumpriram mandado de prisão de despachante em Ipatinga
Uma operação conjunta de policiais civis de Ipatinga e Divino, na Zona da Mata Mineira, cumpriu na manhã desta quarta-feira (10) um mandado de prisão decretado pelo Poder Judiciário da comarca de Divino, contra o despachante documentalista L.M.D. A ordem judicial foi decretada no âmbito da segunda fase da Operação Graneleiro, que tramita junto à Delegacia de Polícia Civil de Divino, e que culminou na prisão de duas pessoas, incluindo o citado despachante em Ipatinga.

Os alvos da operação são suspeitos de integrarem organização criminosa especializada na prática dos crimes de furto de caminhões e adulteração de sinal identificador, tendo as investigações se iniciado em 23 de abril deste ano, quando criminosos furtaram um caminhão Graneleiro na cidade de Divino.

Na noite dos fatos um homem foi trazido por outro indivíduo que dirigia um VW Gol G6 prata e o deixou nas proximidades do pátio da importadora de Café TNT Armazéns Gerais, local onde estava estacionado o caminhão Graneleiro, que acabou subtraído. Logo depois, os condutores, com o caminhão furtado e com Gol se encontraram e ambos empreenderam fuga da cidade.

Conforme a PCMG, a primeira fase da Operação Graneleiro ocorreu no início do mês passado, quando a Delegacia de Polícia Civil de Divino já havia prendido o motorista do Gol prata, de 40 anos de idade, que confessou a prática do crime, assim como seu pai, de 72 anos, suspeito de auxiliar o grupo.
Naquela ocasião foram encontrados pedaços de chassi do caminhão escondidos embaixo de um grande amontoado de madeiras na casa do idoso, situada no município de Fervedouro, bem como foram apreendidas placas e plaquetas de identificação do mesmo veículo, documentos e decalques do chassi na casa do suspeito de 40 anos situada no município de Vermelho Novo.


A Polícia Civil deu continuidade às investigações e apurou o envolvimento de mais dois indivíduos, sendo um despachante documentalista de Ipatinga e outro indivíduo residente na cidade de Caratinga, motivo pelo qual o delegado de polícia responsável pelo caso representou junto ao Poder Judiciário pleiteando a expedição de mandados de prisão cautelar e de busca e apreensão.

Nesta semana, desencadeou-se a segunda fase da Operação Graneleiro, quando foram cumpridos, na manhã de segunda-feira e hoje, nos municípios de Santa Rita de Minas e Ipatinga, os mandados de busca e apreensão e as prisões de um indivíduo de 33 anos suspeito de conduzir os caminhões durante o furto, além do despachante, de 39 anos, suspeito de ter sido contratado para "esquentar" os veículos furtados.

A prisão do despachante documentalista L.M.D, ocorrida nesta quarta-feira, foi realizada pela equipe da Delegacia de Polícia Civil de Ipatinga que, imediatamente, acionou a equipe da Delegacia de Polícia de Divino para demais providências, a qual compareceu nesta unidade policial e realizou a oitiva do investigado preso.

Além do caminhão furtado em Divino, no dia 23 de abril deste ano, a Polícia suspeita que o grupo também esteja envolvido em outro furto de caminhão de modelo semelhante ocorrido no dia 9 de setembro de 2021, na cidade de Ponte Nova.


A PCMG acrescenta que o grupo criminoso é investigado pela prática dos crimes de furto qualificado, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e associação criminosa. O despachante L.M.D, após formalização de sua prisão, foi conduzido ao Ceresp de Ipatinga e se encontra à disposição da Justiça.

Despachante havia denunciado golpe

Horas antes de ser preso o despachante ipatinguense, L.M.D. acionou a Polícia Militar para denunciar que foi vítima de dois golpistas que o enganaram na negociação de um carro e furtaram a quantia de R$ 75 mil em dinheiro. Com a promessa de pagar recompensa a quem souber do paradeiro dos dois homens que lhe ludibriaram, o despachante enviou áudios prometendo uma recompensa. “Quem denunciar e essa denúncia levar à prisão deles, eu pago, R$ 15 mil, R$ 20 mil ou R$ 50 mil de recompensa”, enfatizou.

Conforme chegou a relatar aos policiais, dois indivíduos que frequentavam o escritório dele nos últimos 30 dias, em busca de alguns serviços, propuseram a troca do VW Gol do despachante por um Toyota Corolla. Na noite de terça-feira, quando seria fechado o negócio, um dos homens o teriam enganado e furtado um envelope contendo os R$ 75 mil. Os homens, que supostamente usaram nomes falsos, ficaram hospedados em um hotel no Centro de Ipatinga por mais de 30 dias. Depois do golpe sumiram.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://magoonews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp