10/11/2021 às 08h10min - Atualizada em 10/11/2021 às 08h10min

Planalto autoriza, e Congresso debate remanejamento interno de emendas

Executivo manteria recursos, estimados neste ano em R$ 16,5 bilhões, sob influência do Congresso Nacional

Caio Junqueira Bárbara Baiãoda CNN
https://www.cnnbrasil.com.br/politica

Após a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que suspendeu a execução de emendas de relator, o Palácio do Planalto sinalizou que os valores devem ser mantidos com o Congresso Nacional, que já começou a debater nos bastidores o remanejamento interno de verbas dos valores.

Desse modo, o Executivo manteria os recursos, estimados neste ano em R$ 16,5 bilhões, sob influência do Congresso Nacional.

São duas ideias na mesa. Uma é elaborar projetos que abram créditos suplementares pelos quais o Congresso possa indicar aos ministérios onde os valores devem ser executados. Uma sessão do Congresso Nacional está sendo articulada para a quinta-feira (11).

 

Entenda o que são as “emendas do relator” ao Orçamento PEC dos Precatórios: Câmara encerra votação em primeiro turno Congresso sinaliza que PEC dos Precatórios será promulgada em dez dias

Outra ideia é que os valores sejam destinados às chamadas comissões setoriais seguindo regras de transparência. Há 16 comissões setoriais, que englobam temas como saúde, educação, desenvolvimento regional, transporte e integração nacional.

“Estamos discutindo isso na Comissão de Orçamento, por enquanto ainda informalmente. Não levamos ainda para o plenário, mas a proposta é dar transparência, democratizar, descentralizar e reforçar as comissões temáticas”, disse à CNN o vice-presidente da Comissão de Orçamento, senador Izalci Lucas (PSDB-DF).

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://magoonews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp