05/11/2021 às 15h39min - Atualizada em 05/11/2021 às 15h39min

'Justiça', diz jovem violentamente agredida pelo namorado em Itabira, na Região Central de MG

Homem, de 25 anos, atingiu a vítima com socos e puxões de cabelo; vítima contou não ter sido a primeira vez.

Por Guilherme Pimenta, g1 Minas — Belo Horizonte
https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia
Rayane Machado foi atingida no rosto, pescoço e braços — Foto: Rayane Machado/Arquivo Pessoal

“Ele já é bem alterado, impaciente, estressado”. Essa é a descrição que Rayane Machado, de 21 anos, faz do ex-namorado Felipe Gustavo Avelar, de 25 anos. A mulher afirma que foi violentamente agredida pelo então companheiro, após uma discussão, em Itabira, na Região Central de Minas Gerais. O caso foi na madrugada desta quarta-feira (3), mas ganhou repercussão após a denúncia da vítima pelas redes sociais nesta quinta-feira (4).

Segundo Rayane, 60 mil pessoas interagiram com o perfil dela. Milhares de republicações na internet, comentários e curtidas. Tudo provocado por uma “discussão boba”, segundo ela mesmo conta.

“Fomos a um barzinho, com amigos. Depois, a gente foi comer em uma hamburgueria. Começamos uma discussão boba, sem nexo. Então, fomos para o carro e a discussão passou a se agravar, com ameaças, apontando o dedo, tapa na cara”, descreveu.

Felipe e Rayane se conheceram por meio de amigos em comum. Estavam juntos há 18 meses. Ela conta que o rapaz sempre foi estressado, “inclusive com a família dele”. Mas que ele perdeu o controle.

“Ele estava dirigindo para a minha casa, moro com a minha avó, mas mudou a rota. Por segurança, dei um soco no nariz dele e saiu sangue. Ele disse que me levaria para a casa da minha mãe, para ela ver o 'monstro' que eu sou. Mas começou a me bater”, relatou.

Segundo a vítima, nesse momento, ele passou a atingi-la com socos e puxões de cabelo. Os golpes deixaram Rayane com hematomas. Segundo a PM, ela apresentava escoriações no pescoço, rosto e braços.

No boletim de ocorrência, a vítima contou à polícia que o rapaz a levou para a casa do irmão, em Belo Horizonte. Uma viagem de carro que dura, em média, duas horas. Segundo o relato dela, o objetivo do suspeito era “acobertar os fatos”. Porém, ele não teve o apoio esperado.

“O irmão não quis encobrir as agressões do autor Felipe e trouxe a vítima Rayane de volta para a cidade de Itabira, deixando-a sob os cuidados da mãe”, descreveu o documento policial.

Procurada, a Polícia Civil disse que "o suspeito ainda não se apresentou" e que, "considerando que a ocorrência foi registrada na quarta-feira (3/11), não existe mais o estado flagrancial", ou seja, ele não pode mais ser preso em flagrante.

"A PCMG esclarece que poderá haver eventual prisão se constatada, no caso concreto – lesão corporal no contexto de violência doméstica – alguma das hipóteses legais para prisão preventiva previstas no Código de Processo Penal. A autoridade policial, responsável pela investigação, instaurou Inquérito Policial e as providências em relação aos fatos encontram-se em andamento. Além de representar ao Poder Judiciário requerendo medidas protetivas de urgência para a vítima, de 21 anos, a PCMG também encaminhou a jovem ao Posto Médico Legal de Itabira para realizar exame pericial", disse ainda.

'Relacionamento tóxico'

“Até ontem, eu estava sem reação. Achando que estava em um pesadelo, que ia acordar e ficar tudo bem. Só que, toda hora que me vejo no espelho, me dá tanta vontade de chorar. A gente fica com medo do que vai acontecer depois, de como vai levar a vida depois. Quando você é dependente de alguém, quando você tem um relacionamento assim, você não consegue se imaginar sem a pessoa, mesmo batendo e xingando. É tóxico e doentio”, disse Rayane.

Segundo a vítima, não foi a primeira vez que Felipe a agrediu. Ela contou que vinha de um relacionamento com diversos abusos psicológicos e ameaças. No dia 27 de setembro, houve a primeira agressão física e ela acreditou que isso não aconteceria novamente.

“Eu queria justiça, né? Minha ideia de postar foi ao menos, primeiro, para mostrar que nem tudo o que a gente vê nas redes sociais é verdade. Porque a gente era o casal perfeito nas redes sociais, mas todo mundo ficou em choque. Todo mundo achava que ele era um príncipe. Ele era um príncipe com os de fora”, desabafou.

A reportagem entrou em contato com Felipe Gustavo Avelar por telefone. Ele disse que foi aconselhado pelo advogado a não se pronunciar.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://magoonews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp