04/11/2021 às 07h44min - Atualizada em 04/11/2021 às 07h44min

Leilão do 5G ocorre nesta quinta-feira (4), com 15 empresas inscritas

Entre as cadastradas para a disputa estão veteranas, como Claro, TIM e Vivo, e novatas na telefonia móvel, como operadoras regionais

Juliana Eliasdo CNN Brasil Business
https://www.cnnbrasil.com.br/business

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realiza nesta quinta-feira (4) o leilão do 5G, o novo padrão de conectividade móvel que permitirá uma conexão de internet de alta velocidade no país, que impulsionará o desenvolvimento de tecnologias como internet das coisas (IoT) e veículos autônomos, por exemplo.

O processo acontecerá no auditório da Anatel, em Brasília, e pode se estender até a sexta-feira (5), a depender do ritmo com que sejam analisadas as propostas entregues por todas as 15 empresas que se habilitaram para as diferentes faixas de frequência oferecidas.

‘Fantástico para a competição’, diz Anatel sobre 15 interessados no leilão 5G 5G deve impulsionar economia, mas implementação no Brasil precisa avançar Entenda o que é o 5G e como está sua implementação no Brasil

A solenidade de abertura do evento, prevista para as 10 horas desta quinta, terá a presença do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do presidente da Anatel, Leonardo de Morais. Também está prevista a participação do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com a Anatel.

O leilão prevê a venda das frequências de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz, em blocos nacionais e regionais.

No total, 15 empresas se habilitaram e apresentaram propostas para participar da disputa, número comemorado pelo governo e pela agência das telecomunicações não só pela ampla concorrência, como também pela vasta participação de novas interessadas no mercado de telefonia móvel brasileiro.

Das 15 registradas para a competição pelas faixas do 5G, apenas cinco já atuam nesta área no Brasil: Vivo, Claro, Tim, Algar Telecom e Sercomtel.

Se todos os lotes forem arrematados, a expectativa é que o leilão levante R$ 49,7 bilhões. Desse montante, apenas R$ 3 bilhões serão destinados aos cofres públicos. O restante será destinado para as obrigações de investimento previstas no edital, como os R$ 7,5 bilhões que serão destinados a levar internet para as escolas de educação básica.

A primeira previsão era que o leilão do 5G ocorresse ainda em março de 2020. No entanto, divergências das áreas técnicas do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Anatel adiaram o processo de chegada do 5G no país.

Apesar da aprovação do edital na Corte de Contas em agosto deste ano, a agência reguladora teve que fazer mudanças no texto e, por isso, o certame acabou jogado para novembro.

Entre as alterações feitas, estão a inclusão de compromisso dos vencedores de garantirem internet nas escolas básicas e de instalação de uma rede privativa para o governo.

O texto define que o prazo de outorga, ou seja, direito de exploração das faixas, será de até 20 anos.

Ainda segundo o edital, os compradores de cada uma das quatro faixas terão que cumprir contrapartidas definidas pelo Ministério das Comunicações. As principais exigências são:

*Com informações de Anna Russi, João Pedro Malar e Ligia Tuon, do CNN Brasil Business

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://magoonews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp